Tempo de agradecer,60 anos de história

Amado(a) leitor(a), a nossa diocese de Teófilo Otoni vivenciou na última sexta-feira um momento de grande alegria. Completou seus sessenta anos de criação. São seis décadas de evangelização nesse chão do Vale do Mucuri e bacia do Rio São Mateus.

A Celebração Eucarística por sua criação foi vivenciada de modo restrito. Devido ao tempo de Pandemia, não se pode realizar toda a programação do Jubileu de Diamante. Contudo, dentro de nossa igreja mãe, a Catedral Imaculada Conceição, contou com a participação de alguns padres, seminaristas e uma pequena porção do povo de Deus.

Nosso bispo diocesano Dom Messias dos Reis Silveira, sexto bispo eleito desta diocese, lembrou em sua homilia que: “celebrar a história de uma diocese é fazer memória do seu passado. É lembrar das alegrias e agradecer a Deus. Fazer memória das noites escuras e pedir perdão.”

Deste modo, o sentimento que se carrega é de uma autêntica renovação. Cada fiel reacende as chamas da esperança no desejo de evangelizar. Sentem-se parte desta história. Os padres reafirmam seus propósitos de continuarem os seus serviços. Os seminaristas renovam suas forças no sentimento de colaborar na construção dessa história como presbíteros.

Nessa ação de graças, houve a instituição dos seminaristas Gerson, Iago e Matheus ao ministério de leitor. Os seminaristas Hugo, Igor, Ivo e Warley foram instituídos nos ministérios de leitor e acólito, lembrando assim, mais uma etapa do seu caminho vocacional no qual se busca configurar cada vez mais a Cristo para o melhor serviço ao povo de Deus e nas ações litúrgicas.

Estimado(a)leitor(a) continue rezando por nossa Igreja diocesana. Por todo o povo de Deus que integra essa diocese. Reze por nosso Bispo Dom Messias dos Reis Silveira e por todos os Padres e Diáconos para que continuem exercendo um ministério de paz e amor. Reze ainda por nós, os seminaristas da diocese, para que possamos a cada dia dar um sim de amor à nossa vocação, a exemplo de Maria Santíssima, nossa mãe e Mãe de Deus. E não esqueçamos de pedir ao Senhor da Messe para que envie mais operários.

Nesse elo de amor, na fé, estamos todos unidos em oração.

Por Hugo Damião Leal,

Seminarista do 3° ano de Teologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Fale conosco