Ordenação Diaconal do Frei Adriano Borges de Lima, OFMCAP

No último sábado, dia dedicado a Imaculado Coração de Maria, os frades capuchinhos presente em nossa diocese vivenciaram um momento de grande alegria com a ordenação diaconal do Frei Adriano Borges de Lima, OFMCAP. A convite do Sr. Frei Arles, Ministro Provincial dos Frades Capuchinhos, e do ordinando o Frei Adriano, Dom Messias, no seu exercício do múnus episcopal em nossa diocese, ordenou-o para o primeiro grau da ordem – o diaconato.

O Diácono Frei Adriano escolheu como lema para sua ordenação o trecho bíblico do Evangelho São João: “Tendo amado, amou até o fim” (Jo 13,1), muito significativo pois lembra que o ordenando tem o desejo de viver seu ministério na doação, amando a todos, como o Divino Mestre.

Dom Messias, em sua homilia comparou que o diaconato é o cerne da vida sacerdotal, no qual tendo um serviço sintonizado à Cristo, a pessoa deseja viver um sacerdócio firme em meio a uma sociedade tão volátil. Exorto-o ainda a buscar a essência que lhe dá sustentação, que é Cristo, que ama a todos até o fim. Por fim, o bispo deu-lhe cinco conselhos para a vivência de um bom ministério: cumprir generosamente a vontade de Deus; viver alicerçado na fé; apresentar-se de coração puro diante de Deus e das pessoas; ter sempre confiança no Evangelho; ser uma oferenda agradável a Deus; por fim, viver com alegria o celibato.

Devido ao tempo pandêmico, a participação se realizou de maneira restrita, apenas os familiares, amigos, e os seus confrades. Entretanto, todos nós estivemos conectados ao novo diácono mediante nossas orações e acompanhando pelas mídias sociais do Santuário Nossa Senhora dos Anjos.

            Por fim, pedimos que continue rezando por todas as vocações, de maneira especial pelo neo diácono Frei Adriano Borges de Lima, pelos Frades Capuchinhos em sua missão em nossas terras diocesanas, pelo nosso bispo Dom Messias e por todo povo de Deus que de maneira especial dedica sua vida à evangelização em suas comunidades de fé. Confiemo-nos ao exemplo de São Francisco de Assis e da sempre Bem-Aventurada Virgem Maria, Senhora dos Anjos. Não nos esqueçamos de pedir ao Senhor da messe que envie operários.

Nesse elo de amor, na fé, estamos unidos em oração.

Por Hugo Damião Leal

Seminarista do 4° ano de Teologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat