Paróquia Santo Antônio, realiza conscientização sobre o Dízimo.

Neste mês de julho todos nós somos convidados a meditar a nossa responsabilidade e participação na comunidade Cristã através do Reconhecimento e Devolução do Dízimo. Sabemos que “todos os dízimos da terra são propriedades do Senhor” (cfLv 27,30) e por isso a nossa fidelidade deve ser constante. Sendo assim nos comprometemos de forma direta com o anúncio do Evangelho difundido através da Igreja que é corpo místico de Cristo, e é na Igreja que devolvemos a Deus o dízimo de tudo que Ele nos dá: “Trazei integralmente o dízimo ao tesouro do templo. Que haja alimento na minha Casa” (cf Ml 3,10).

Na paróquia Santo Antônio de Teófilo Otoni a pastoral do dízimo, durante o mês organizou ações de conscientização e mobilização com mensagens, apresentações. Em cada celebração as mensagens levam aos participantes a refletirem  sobre como o Dízimo faz a diferença na comunidade, que não é somente uma doação, mas sim uma devolução das bênçãos que Deus nos oferece.

O Dízimo é um dos meios de dizer ao Pai:

Estamos aqui, Senhor, para colaborar com teu Reino! Dá-nos um coração generoso e um espírito fraterno para que possamos, cada dia, entender melhor a tua Palavra“.

Mais não pode ser confundido com pagamento de taxa de sócio, como se a Igreja fosse um clube ou uma sociedade, a qual existe apenas para prestar determinados serviços (sacramentos, enterros…) e muito menos ainda como se fosse uma instância para comprar as bênçãos de Deus, seus favores e milagres. Portanto, o dízimo não é imposto, pagamento ou taxa. A graça de Deus não tem preço e não pode ser comprada. Assim compreendemos que o dízimo é uma devolução generosa, um sinal de gratidão e partilha consciente e responsável, dentro do espírito do verdadeiro sentido de nosso batismo, quando nos tornamos filhos de Deus e irmãos dos outros. A atitude filial e fraterna da fé abre os corações dos fiéis e tornam a partilha um gesto normal e coerente; enquanto que atitudes egoístas e avarentas fecham os corações e consideram a partilha como algo difícil e até desnecessário.

Segundo o verdadeiro espírito do dízimo cristão, todo batizado é convidado a ajudar em sua comunidade, proporcionalmente com sua situação de vida; a contribuição dos pobres, por menor que seja, é também muito valiosa e importante, pois ninguém é tão pobre que não tenha nada a repartir; o que lembra a oferta da viúva, elogiada por Jesus no evangelho (Mc 12, 41-44). E quem tem mais recursos ajude generosamente na proporção de suas possibilidades. O dízimo não é imposição, mas ato generoso, coerente com a vida cristã, orientado pelo mandamento do amor, que Jesus nos deixou.

Fonte: Pastoral do Dízimo – Paróquia Santo Antônio / Teófilo Otoni

Assessoria de comunicação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp Fale conosco